domingo, 29 de setembro de 2013

evolução

Blender 3D, um software gratuito profissional


Esta imagem veio deste vídeo do Youtube ensinando a modelar no Blender (em inglês).
 Ao olhar para trás, aqueles que, como eu, acompanham o desenvolvimento de softwares de computação gráfica, ficam espantados com a tremenda reviravolta no mercado.

Há uns 10 ou 15 anos atrás, poucos softwares dominavam o cenário em todas as áreas. Eram softwares caríssimos, ainda mais caros na área de computação gráfica (cg). Pagava-se, no mínimo, U$ 5.000 por alguns deles. Muitos programas vinham com um dispositivo físico que tinha que ser instalado no computador para bloquear qualquer tentativa de pirataria.

Mas, o cenário mudou. Hoje, há centenas de softwares gratuitos ou de preço mais acessível. Eu disse centenas? Corrigindo: se estamos falando de TODAS as áreas (pacote de escritório, softwares de imagem, agendas, criação de sites, softwares científicos, computação gráfica, softwares de segurança, etc, etc) então esse número sobe à casa de dezenas de milhares, talvez até centenas de milhares.

É um oceano de softwares os mais variados. Para encontrar o mais adequado ao nosso uso, é preciso buscar, buscar, experimentar. Bem, mas aqui estamos falando de computação gráfica e, mais especificamente, do Blender 3D. Então, foquemos no assunto.

O que é, afinal, computação gráfica?

A rigor, computação gráfica é imagem. Qualquer imagem. Então, o Paint, pequeno programa de criação de imagens que vem com o Windows, não deixa de ser "computação gráfica". No entanto, quando se usa esse termo, em geral se está referindo a programas que simulam um ambiente tridimensional. Pode-se, por exemplo, criar uma cena com uma árvore, uma casa, um sol se pondo.

O ambiente virtual simula o mundo físico. Isso está sendo feito de forma cada vez mais realista, a ponto de não se poder mais distinguir se uma determinada imagem é uma foto ou foi criada no computador.

Usando programas de computação gráfica é que se faz filmes como Shrek, ou filmes-catástrofe com prédios explodindo, ou filmes como Avatar, só para citar um.

No entanto, a computação gráfica também é muito utilizada para criar capas de livros, ou ilustrações internas de livros e revistas. Na Editora Sucesso, usamos bastante o Blender, o Vue e, ocasionalmente, alguns outros softwares de computação gráfica.

Blender

Blender 3d é um software opensource, isto é, de código aberto. Isso significa que as milhares de linhas de código que compõem o programa estão disponíveis na internet para serem baixadas, analisadas e até modificadas por um usuário mais experiente. Isso tem uma vantagem adicional: não há nenhum software espião embutido pois, se houvesse, seria descoberto instantaneamente pelos usuários que conhecem linguagem de computação. Já nos softwares pagos...

Blender é gratuito. E aí logo vem a pergunta: mas, se é gratuito, que vantagem os desenvolvedores têm em mantê-lo no ar, atualizá-lo, investir tempo nele? A resposta é múltipla:

- os desenvolvedores oferecem cursos de Blender a baixo custo, camisetas, CDs com bibliotecas, etc;
- os usuários podem usar comercialmente o software para atender a seus clientes;
- usuários mais experientes oferecem cursos e tutoriais. Os cursos têm um preço, ainda que baixo, e os tutoriais são precedidos de publicidade do Google / Youtube, e uma porcentagem do dinheiro obtido com essa publicidade vai para o autor do tutorial.

Em resumo: software gratuito é aquele em que muitas pessoas ganham um pouco de dinheiro cada uma. Software pago é aquele em que poucas pessoas ganham MUITO, MUITO dinheiro.

A imagem que ilustra este post demonstra como o Blender, nas mãos de um artista, pode gerar imagens tocantes e intensas. Para isso, é preciso que o artista seja talentoso mas, também, é fundamental que a ferramenta tenha uma qualidade superlativa. E o Blender tem.

Se quiser experimentar o Blender, você pode baixá-lo em http://www.blender.org . Na internet você encontra uma quantidade colossal de tutoriais para começar a trabalhar com o software. Abaixo, alguns endereços:

Aqui temos o curso básico, gratuito, oferecido pelo prof. Allan Brito, arquiteto e expert em Blender. Para fazer o curso é preciso se inscrever, o que também é gratuito. Os cursos avançados do Blender custam R$ 39,90.

Os tutoriais do site Little Web Hut (Pequena Cabana da Internet) são bem didáticos e pedagógicos. O link acima remete especificamente para os tutoriais do Blender. São tutoriais em inglês, mas se você sabe o básico do idioma, conseguirá entender. Aliás, esses tutoriais servirão para incrementar seu inglês!

A página da VScorpianC tem tutoriais de diversos softwares, incluindo Blender, Gimp (criação de imagens) e InkScape (imagens vetoriais). VScorpianC é uma mulher. Isso é incomum para o Blender, pois a computação gráfica é meio que um "clube do Bolinha". Os tutoriais deste site são excelentes, explanados num clima de descontração e cordialidade.


domingo, 31 de março de 2013

Chegou o formato epub3

O formato dos eBooks tem evoluído continuamente. Essa evolução acompanha o aperfeiçoamento das duas plataformas que embasam esse formato de livro digital: as linguagens html e css.

O html é a conhecida linguagem da internet. O css é, podemos dizer, uma linguagem "acoplada" ao html, que lhe dá forma e beleza.

Para o leigo, o que importa é que, com o advento do html5 e do css3, os livros eletrônicos poderão ter som e vídeo acoplados a eles. Imagine-se, por exemplo, esta passagem de um livro:

"O dia estava claro e alegre. Ele contemplava as águas plácidas daquele lago.
video
Esse pequeno vídeo faria parte da cena, podendo ser visto em loop, isto é, com repetição contínua. Da mesma forma, a cena de um romance que se passe, digamos numa floresta, pode ser acompanhada dos sons da floresta.

Esses recursos têm o lado bom: enriquecem o conteúdo do eBook. Mas têm o lado ruim: exigem menos da imaginação.

De qualquer forma, é uma questão de decisão do autor e da editora. O que vale mais a pena? Estimular mais pessoas à leitura através de atrativos como vídeo e efeitos sonoros, ou buscar aquele leitor tradicional de livro, que prefere o texto puro, torcendo o nariz até para livros com figuras?

O fato é que o chamado epub3 veio para ficar. No Brasil, há todo um campo a explorar, pois as novas gerações já nascem com um tablet na mão.